Sobre a saúde do idoso

Cuidador com perfil adequado – Cuidador selecionado

 

Cuidador com perfil adequado – Cuidador selecionado

WhatsApp Image 2020-07-27 at 10.08.29

Confiar em alguém para cuidar de quem amamos é tarefa árdua. Nem sempre alguém próximo tem disponibilidade de tempo ou condição física, emocional, para exercer essa função quando ela se faz necessária.

Hoje, não falta quem queira trabalho, seja ele qual for, pois o desemprego está grande, é sabido. Principalmente atualmente, com a chegada da pandemia da COVID-19. Muitas pessoas foram dispensadas dos seus trabalhos e na maioria das vezes, aceitam qualquer oferta para poder atender suas necessidades econômicas e de suas famílias.

Na modalidade “cuidadores de idosos” não está diferente. Percebe-se que um grande número de pessoas procura empregar-se nesta área e o faz pensando ser uma tarefa fácil, que basta estar presente no ambiente ou desempenhar uma rotina de afazeres planejados… Cuidar é uma tarefa dinâmica, demanda técnica para promover estímulos.

Mas, a necessidade, a pressa de contratar alguém, na maioria das vezes leva os familiares a buscarem indicações com vizinhos, com os próprios empregados da casa, nos hospitais, etc… Nada errado, mas, é importante lembrar que cada pessoa tem seu histórico de vida e sua própria estrutura de personalidade, esta é uma realidade que precisa ser considerada de ambos os lados ou pessoa cuidada e cuidador poderão ser infelizes.

É prudente considerar que ficar trocando de cuidador poderá causar sofrimento emocional no idoso, portanto, esta decisão merece cuidado especial. Sendo assim, mesmo que demore alguns dias para contratar um cuidador, será importante conhecer melhor a pessoa que “necessariamente” agora fará parte da vida do idoso e da família de forma geral. Existem os aspectos legais, jurídicos, cuidados importantes para ambas as partes resolverem.

Por mais saudável que seja o idoso que precisa desse serviço, agora, mais que nunca, é preciso observar, estar atento, principalmente nas suas emoções. As pessoas, de maneira geral, vão envelhecendo e naturalmente se tornam mais sensíveis, ficam mais expostas à fragilidade, tanto interna como externa, por isso o papel do “cuidador devidamente selecionado” se torna tão importante. O cuidador estará ligado à vida do sujeito por inteiro, ao processo psicológico, sócio-histórico-econômico e cultural, tem que ser “escolhido”, “separado dentre outros”.

Para obter um perfil desejado são necessárias várias etapas, como, entrevista pessoal, aplicação de instrumentos psicológicos para compreensão da personalidade, solicitação de documentos pessoais suficientes para dar segurança ao idoso e seus familiares e treinamento específico para atender à demanda de saúde do idoso. É de grande importância que esse cuidador seja adequado, tenha competência técnica e qualidade humana para atender as necessidades da pessoa em questão.

Um ser humano que se sente amado, respeitado e seguro, poderá viver em paz o seu tempo de envelhecimento.

 

Neide Azevedo Dezen de Queiroz

Psicóloga CRP.06/73593

Especialista em Envelhecimento